Internet das Coisas: descubra como integrar todas as informações da sua indústria

Internet das Coisas

Imagine que os mais diversos objetos do seu dia a dia estão conectados à internet e se comunicando mutuamente. A Internet das Coisas ou Internet of Things é basicamente isso.

O conceito representa uma enorme rede de dispositivos – smartphones, tablets, TVs, máquinas, entre outros equipamentos – que se conectam através da internet.

Mas não se engane!

A Internet das Coisas, ou IoT, ou Internet of Things, tem como foco a conectividade de todos os equipamentos de uma pessoa, empresa ou cidade. Até mesmo aqueles que você nunca imaginaria que poderiam se conectar à rede: lâmpadas, ar-condicionado, fechadura, etc.

Qualquer utensílio eletroeletrônico que você consiga imaginar pode, teoricamente, entrar para esse universo.

A IoT está transformando a forma como nos relacionamos, interagimos com os ambientes, usamos os equipamentos, a internet e as tecnologias. É um conceito capaz de alterar não só a forma como vivemos, mas também como trabalhamos.

O que é Internet das coisas?

O termo surgiu em 1999, quando Kevin Ashton, do Massachusetts Institute of Technology (MIT), escreveu o artigo “As coisas da internet das coisas”.

Nele, o autor falava sobre a necessidade das pessoas de se conectar à internet de novas maneiras, devido à falta de tempo, o que possibilita a criação de dispositivos que executariam tarefas que elas não precisariam fazer manualmente.

A partir daí, a Internet das Coisas foi emergindo por meio do avanço de áreas como sistemas embarcados, microeletrônica, comunicação e sensoriamento.

Tudo com o objetivo de fazer com que os dispositivos sejam mais eficientes, contribuindo para otimizar e economizar recursos naturais, para a saúde, mobilidade urbana, produtividade de indústrias, etc.

Ela consiste em uma rede de objetos físicos, veículos, prédios e dispositivos que possuem tecnologia embarcada, sensores e conexão com a internet, capaz de coletar e transmitir dados.

É como se fosse um grande sistema nervoso que permite a troca de informações entre os dispositivos e os usuários.

Mas, para que uma aplicação funcione dentro do conceito de Internet das Coisas, três componentes precisam ser combinados:

Dispositivos: geladeiras, carros, lâmpadas, relógios, cafeteiras, aspirador de pó e outros. Eles devem ser equipados com chips, sensores, antenas, conexão com a internet ou outros elementos que os possibilitem comunicar com os demais elementos.

Rede: é o meio de comunicação. São as tecnologias como wi-fi, Bluetooth e dados móveis.

Sistema de Controle: essencial para capturar os dados dos dispositivos por meio da rede, processá-los e enviá-los para o sistema que controla cada aspecto e faz novas conexões.

Facilitar e tornar mais prática a vida dos usuários é o principal benefício da Internet das Coisas.

Ela busca tornar o uso de certos elementos mais simples e permite até mesmo a automação de algumas tarefas. Assim, fazendo com que, por meio da conectividade, os objetos fiquem mais eficientes, inteligentes ou recebam atributos complementares.

Aplicações da Internet das Coisas

É um erro achar que ela serve apenas para o ambiente doméstico, apesar de ser uma aplicação bastante interessante. Há diversas aplicações da IoT na indústria, hospitais, cidades e muito mais.

Vamos conhecer onde mais ela pode ser empregada e trazer não somente ganho de produtividade, mas também diminuir custos de produção e otimizar recursos?

#1. Saúde

Diversos sistemas podem melhorar a administração de medicamentos e pacientes podem utilizar dispositivos que monitorem seus dados vitais, otimizando o atendimento e facilitando o diagnóstico.

#2. Agropecuária

Sensores nas plantações podem enviar dados sobre o estado do cultivo, as condições do clima, umidade do solo, controle de pragas, entre outras informações importantes para o plantio.

Outra funcionalidade seria o rastreamento de animais por meio de chip, que também informaria um histórico de vacinas, doenças etc.

#3. Indústrias

A IoT pode ser empregada nas fábricas para medir a produtividade de máquinas, acompanhar o estoque em tempo real ou indicar os setores que necessitam de equipamentos, pessoas ou suprimentos.

Ela também pode ajudar na logística, permitindo o envio de informações sobre trânsito para a escolha da melhor rota combinando dados sobre a frota, as encomendas e áreas de distribuição.

#4. Pequenos negócios

Em lojas ou mercados, a IoT pode ser empregada para informar sobre a venda de produtos, atualizando o estoque em tempo real.

Ou então como prateleiras inteligentes que informam quando determinado item está em falta e os horários que certos produtos saem mais, ajudando na estratégia de vendas e marketing.

A Internet das Coisas não é algo que vemos apenas nos filmes e nas séries, ela já faz parte da nossa realidade e são muitos os recursos possíveis!

Você já aplica o conceito da IoT em seu negócio? Já possui dispositivos conectados? Deixe seu comentário!

Confira o nosso blog para mais conteúdos como esse!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *