Indústria 4.0: você já sabe o que é e quais são os seus Impactos?

Indústria 4.0

Em 2011, na Feira de Tecnologia que acontece todos os anos na cidade de Hannover, Alemanha, foi apresentado, pela primeira vez, o conceito de Indústria 4.0. Mas o que esse conceito realmente quer dizer? Quais suas aplicações?

Nesse artigo vamos explicar o que é Indústria 4.0 e quais os seus impactos nas indústrias atuais!

Como surgiu o conceito Indústria 4.0?

Sabemos que, ao longo da história, a sociedade passou algumas revoluções industriais, as quais mudaram todo o funcionamento das fábricas e do mercado consumidor como um todo.

A 1ª revolução, que aconteceu há cerca de 250 anos atrás, trouxe a máquina a vapor, que mecanizou as fábricas e, com isso, aumentou muito a produtividade do setor têxtil. Com a 2ª revolução, a Ford introduziu a primeira linha de montagem industrial, a qual foi adotada posteriormente por várias outras empresas, a fim de melhorar a eficiência e deduzir os custos.

Nos anos 70, com o nascimento dos primeiros sistemas de automação com aplicação industrial, tem-se a chamada 3ª revolução industrial.

A 4ª revolução industrial, que dá nome à Indústria 4.0, é caracterizada pela integração e controle de produção através da fusão entre os objetos física e digitalmente. Os benefícios dessa revolução são vários, como a maior eficiência no uso de recursos e integração de cadeias globais de valor e produção.

Princípios e tecnologias envolvidas na Indústria 4.0

A Indústria 4.0 tem propostas centrais que guiam e direcionam a maioria dos avanços e sistemas inteligentes que já surgiram no contexto e também os que devem surgir nos próximos anos:

Modularidade: trata-se da flexibilidade dos processos, que devem ser estruturados de acordo com a demanda. Isso pode ser exemplificado através da adoção de máquinas que possam ser moduladas quando necessário.

Essa premissa gera um corte grande no gasto de recursos e proporciona um aproveitamento melhor do espaço das indústrias.

Capacidade de operação em tempo real: através da implementação de dispositivos inteligentes e integrados, a fábrica poderá operar em tempo integral, proporcionando uma gestão muito mais prática e ágil.

Os gestores terão acesso muito mais fácil às informações e, consequentemente, mais insumos para tomar decisões melhores e mais rápidas.

Virtualização: O uso de sensores com tecnologias como bluetooth e RFID (radiofrequência), por exemplo, permitirá o monitoramento dos processos da fábrica de forma remota.

Descentralização: Os dispositivos adotados na indústria devem fornecer informações sobre o trabalho e poderão ser comandadas através de sistemas virtuais, com o trabalho descentralizado.

Várias tecnologias aplicáveis a esse novo cenário da indústria mundial estão sendo criadas em diversos campos da ciência. As principais são a Manufatura Aditiva, a IA (Inteligência Artificial), a IoT (Internet das Coisas), a Biologia Sintética e os Sistemas Ciber Físicos (CPS).

Quais são os impactos da nova indústria?

O que se espera da Indústria 4.0 é uma geração de novos modelos de negócio, advindos das novas tecnologias e da exigência crescente do mercado.

Certamente haverá uma mudança na forma através da qual os profissionais irão lidar com a nova dinâmica de funções dentro de uma empresa.

Com a automatização dos processos de produção, o trabalho braçal tende a diminuir cada dia mais, enquanto a busca por profissionais com visão mais estratégica e analítica deve crescer.

A demanda por profissionais capacitados em tecnologia da informação, mecânica e automação tende a crescer cada vez mais e de forma rápida.

Espera-se, ainda, que a busca por inovações tecnológicas e suas aplicações dentro de uma indústria movimentará o mercado de trabalho, criará novos tipos de negócio e mobilizará grandes cadeias de investimentos em pesquisa e desenvolvimento.

Indústria 4.0 no Brasil

O Brasil, infelizmente, ainda corre bem atrás de países que já estão consolidando a tecnologia.

Segundo este artigo publicado no site do Sebrae, para sanar esta defasagem seria necessário instalar cerca de 165 mil robôs industriais para chegarmos perto do cenário que já existe na Alemanha.

Nesse contexto, para que a indústria 4.0 faça parte do dia a dia das indústrias brasileiras, seriam necessários incentivos fiscais e políticas estratégicas por parte do poder público, especialmente o federal.

Uma mudança significativa na visão de empreendedores e gestores da indústria e uma melhora substancial nos investimentos em pesquisa e desenvolvimento.

O que você acha que falta para que as indústrias do Brasil realmente iniciem as inovações da indústria 4.0? Deixe nos comentários!

Confira outros artigos como esse em nosso blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *